A greve dos caminhoneiros é um tiro no pé - 10 fatos que provam isso - Valor Em Casa | Blog de cotidiano | Ellen Camargo

A greve dos caminhoneiros é um tiro no pé - 10 fatos que provam isso

Foto original: Exame
Porque a greve dos caminhoneiros é um tiro no pé? Antes de receber o seu julgamento pelo título desse artigo, insisto que você leia o texto até o final, é pequeno, tem menos de 400 palavras e talvez você concorde comigo.
Antes de mais nada, nós cidadãos sabemos que o Brasil não é uma democracia plena, na prática não é, e portanto, acreditar que as nossas reivindicações serão atendidas sem resultados catastróficos é inocência ou ignorância.

Primeiro vamos entender o que é Greve:
É a cessação coletiva e voluntária do trabalho realizado por trabalhadores com o propósito de obter direitos ou benefícios, como aumento de salário, melhoria de condições de trabalho ou direitos trabalhistas, ou para evitar a perda de benefícios. Por extensão, pode referir-se à cessação coletiva e voluntária de quaisquer atividades, remuneradas ou não, para protestar contra algo (de conformidade com a "Consolidação das Leis do Trabalho - CLT)

E se você quer saber:
A palavra origina-se do francês grève, com o mesmo sentido, proveniente da Place de Grève, em Paris, na margem do Sena, outrora lugar de embarque e desembarque de navios e depois, local das reuniões de desempregados e operários insatisfeitos com as condições de trabalho. O termo greves significa, originalmente, "terreno plano composto de cascalho ou areia à margem do mar ou do rio", onde se acumulavam inúmeros gravetos. Daí o nome da praça e o surgimento etimológico do vocábulo, usado pela primeira vez no final do século XVIII.

"...vencia a parte mais forte"

Você sabia que originalmente, as greves não eram regulamentadas, eram resolvidas quando vencia a parte mais forte. O trabalho ficava paralisado até que ocorresse uma das seguintes situações: ou os operários retornavam ao trabalho nas mesmas ou em piores condições, por temor ao desemprego, ou o empresário atendia total ou parcialmente as reivindicações para que pudessem evitar maiores prejuízos devidos à ociosidade. Qualquer semelhança com o presente, não é mera coincidência.
No Brasil a Lei nº 7783/89 dispõe sobre o exercício do direito de greve, define as atividades essenciais, regula o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade, e dá outras providências.

Blog Valor em Casa
Foto: Exame
Porque um tiro no pé?
Veja bem, em termos técnicos, a greve dos caminhoneiros passou de Greve Geral para Greve Selvagem, isso porque o próprio sindicato da classe afirmou que a paralisação deveria terminar. No entanto, opositores ao governo se negam a aceitar essa decisão. 
Vamos aos fatos, se o verdadeiro motivo da greve for oposição ao governo, que é o que está parecendo, já que, mesmo tendo as suas reivindicações atendidas, a classe se nega a voltar ao trabalho:
1- caminhoneiros autônomos, que ganham por trabalho executado, estão perdendo dia de trabalho, além do prejuízo pelos produtos estragados.
2- o presidente e seus aliados jamais irão tirar o dinheiro do próprio bolso para dar o desconto que a classe exige, ou seja, a oposição não os atingiu diretamente, quem vai pagar a conta são os brasileiros, mais precisamente quem mais necessita dos recursos do governo.
3- novos impostos serão criados a fim de suprir o gasto dos descontos no diesel, ou seja, as coisas ficarão mais caras para todos, inclusive para as famílias dos caminhoneiros.
4- cortes nos setores públicos são eminentes, isso significa menos dinheiro para saúde, habitação, educação etc.
5- nos últimos dias os brasileiros tiveram que gastar muito mais para ter os serviços básicos como transporte, alimentação e saúde. Um gasto não planejado no inicio do mês, que fará falta no final dos trinta dias.
6- bilhões de animais sofreram sem comida por dinheiro (que o leitor pense e entenda).
7- milhões de pessoas deixaram de receber atendimento em hospitais, postos e em até alguns pronto-socorros.
8- crianças e adultos ficaram sem aulas.
9- pessoas deixaram de voltar para casa e tiveram que passar dias em aeroportos, postos de gasolina e estações de balsas.
10- os jornais não mostraram, mas bandidos e marginais tiveram mais liberdade para praticar crimes, já que até as viaturas ficaram sem combustível, e em breve vamos receber as notícias dessa época como uma das mais violentas do ano.


São apenas 10 fatos gerais, desses muitos outros serão gerados, como por exemplo a nossa imagem machada diante do mercado internacional e quem vai pagar a conta das reivindicações atendidas serão TODOS os brasileiros.

Não estou dizendo que a classe, como qualquer outra, deveria ficar de braços cruzados diante dos problemas que enfrenta, no entanto, toda ação tem uma reação, por isso, uma greve desse tamanho deveria ser melhor planejada a fim de não prejudicar os demais cidadãos e até os próprios caminhoneiros que receberão, em algum momento, a conta extra por esses dias. Talvez e só talvez, haveria uma outra forma de receber as mesmas coisas ou parte delas. Na verdade, o dinheiro que o caminhoneiro receberá a mais no frete pelos descontos no diesel, será gasto nos demais impostos criados para cobrir esses descontos. Agora me julgue, valeu a pena?

"tiro no pé não mata, mas aleija."






Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Greve | http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L7783.htm | https://veja.abril.com.br/economia/por-que-a-greve-dos-caminhoneiros-ainda-nao-acabou/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi. Se você gostou dessa matéria, não deixe de opinar a respeito, aqui nós respeitamos a liberdade de expressão. Se faltou alguma informação, mande o seu conhecimento, assim podemos ajudar mais e mais pessoas. Obrigada pela visita!