O que é Empreendedorismo Materno - Blog de empreendedorismo materno | Valor Em Casa

22 de outubro de 2016

O que é Empreendedorismo Materno

Ellen Luz

Diferente do que muita gente imagina, empreendedorismo materno não tem nada a ver com vender coisas de criança (pelo menos não obrigatoriamente), também não tem nada a ver com trabalhar com recreação infantil (de novo - não obrigatoriamente), mas está muito ligado à pais, mães e filhos.

"O empreendedorismo materno está mudando o mundo."

O termo empreendedorismo materno é recente e nasceu da necessidade de um grupo de pais e, principalmente, mães em largar seus empregos, - alguns demitidos - para ficar em casa e cuidar dos filhos. Em outras palavras, o empreendedorismo materno, difere-se do empreendedorismo normal, por conta da necessidade, seja por escolha ou não.

Apesar do termo ser recente, a atividade é tão antiga quanto a atuação da mulher no mercado de trabalho, pois antes eram os homens que ocupavam esse mercado, as mulheres ficavam em casa cuidando das crianças, porém com a saída delas para trabalhar fora, surgiram as creches, as babás e as escolas maternais. Com o crescimento da profissionalização da mulher, cresceram também o número de crianças nas creches, assim como de funcionários e dos preços. Mas infelizmente, não foram somente os preços que aumentaram, o desemprego tem batido recorde nesses últimos anos, assim, alguns pais e mães de família que perderam seus empregos ou que não tinham condições de pagar nem creche, nem babá e nem escolinhas, uniram o útil à necessidade, começaram a empreender e cuidar eles mesmos dos filhos.

"O empreendedorismo materno é formado por mães e pais."

Mas o que parecia vergonha no início (hoje em dia as pessoas ainda acham que quem trabalha em casa, não trabalha e nem ganha dinheiro, imagina quando o empreendedorismo começou?), se tornou um ótimo negócio para a família e para o país, assim como para a comunidade num todo.

O empreendedorismo não é apenas um trabalho. A necessidade desse segmento é tão espetacular quanto os benefícios que ele traz para o mundo. O empreendedorismo em si, traz soluções inovadoras para problemas gerais, antigos ou não. E o empreendedorismo materno, além de benefícios para a sociedade, traz a solução para a família: a união.

Para ser empreendedor, você precisa pensar em soluções para os problemas da comunidade, o dinheiro é o resultado da solução desses problemas.
Um empreendedor materno é aquele pai ou aquela mãe que aproveitou a oportunidade para ficar perto da família, resolver os problemas da comunidade no qual vive e ganhar dinheiro com isso.
Ellen Luz

O empreendedorismo materno está mudando a visão das pessoas, mostrando que dá para ganhar dinheiro fazendo o que se gosta, independente do grau de estudo ou idade. O empreendedor faz a diferença onde está, pois ele conhece os problemas da sociedade em que vive e contribui com criatividade para o crescimento positivo dessa sociedade.

Para o empreendedor, não existe vocação, a única vocação necessária é a persistência, pois empreender exige muito estudo, prática e força de vontade para fazer algo novo.

"Quando há necessidade, há demanda!"

O sentimento de impotência para o empreendedor é tão real e presente quanto para qualquer ser humano, no entanto a necessidade e a vontade de fazer a diferença é maior, por isso, um empreendedor sempre vai insistir.

Nessa fase, é importante buscar conhecimento e auxílio. Infelizmente, muitos empreendimentos 'quebram' antes mesmo de serem reais por falta de conhecimento de seus fundadores.
Talvez o maior erro dos empreendedores hoje em dia é buscar investimento antes de buscar orientação.

Eu mesma, antes de fundar a minha atual empresa, quebrei duas vezes por falta de conhecimento nas áreas. Foi só quando descobri minha paixão pela tecnologia e busquei conhecimento, além de parceiros que me proporcionavam experiencia, que consegui crescer e permanecer crescendo. Não na mesma velocidade que antes, devagar, alcançando um degrau por dia, mas bem mais feliz e constante, pois agora tenho consciência do meu negócio e posso proporcionar soluções tangíveis para a comunidade a qual a minha empresa presta serviços. 

O maior desafio do candidato ao empreendedorismo, seja ele materno ou não é manter o foco e persistir, não em uma ideia, mas no todo. Seja flexível, busque orientação e seja humilde para recebê-las. 

"Antes de buscar um investidor, busque um mentor."

Se você for um empreendedor materno, assim como eu, seu desafio vem com uma dose extra de dificuldade: a família. Se você se propôs a trabalhar em casa para cuidar dos filhos, não abandone o seu objetivo por conta do trabalho. A palavra-chave para você é: organização. E não tente fazer tudo "pra ontem", respeite os horários, brinque com as crianças, cuide da alimentação da família e, acima de tudo, busque um equilíbrio entre todas as áreas da sua vida.

Eu creio em Deus e busco minhas respostas nEle. Você precisa se apegar a algo em que acredite para buscar suas respostas no momento difícil, seja um instante de meditação, seja uma pessoa que você ame, algo em que sinta apoio. Pois esses momentos, serão inúmeros. 

Sabendo disso, resolvi transformar meu blog, que antes falava sobre outros assuntos em um blog especializado em empreendedorismo materno, justamente para ajudar os pais e principalmente as mães empreendedoras, não só com a minha real experiência, mas com informações relevantes sobre impostos, direitos, leis, mundo corporativo etc. 


"De cada 100 brasileiros, 21 estão envolvidos com uma atividade empreendedora..."

Segundo o Sebrae, de 2014 a 2015, o Brasil passou do décimo para o oitavo lugar no ranking dos 31 países de economias impulsionadas pela eficiência, com uma TEA (Taxa de Empreendedorismo Inicial) de 17,2% em 2014 e 21,0% em 2015. Se comparado aos países selecionados o Brasil apresenta a TEA mais alta do grupo, superando os países componentes dos BRICs, os Estados Unidos e a Alemanha. 
Ellen Luz SEBRAE

Uma coisa interessante que a pesquisa mostra é que, com relação aos níveis de desenvolvimento, pode-se perceber no gráfico de distribuição que as taxas mais altas de empreendedorismo inicial concentram-se no grupo de países impulsionados por fatores e as mais baixas no grupo de países impulsionados pela inovação. É aquilo que eu já havia dito: onde há necessidade, há demanda!
Ellen Luz SEBRAE

O segundo gráfico mostra as taxas de empreendedorismo estabelecido (TEE) de diferentes países em 2015. No ranking dos 31 países de economias impulsionadas pela eficiência, o Brasil, com uma TEE de 18,9%, apresenta-se na segunda colocação. Considerando os países selecionados, as taxas de empreendedorismo estabelecido do Brasil superam as dos demais países, com diferenças mais significativas do que no empreendedorismo inicial.

No Brasil, em 2015, a TTE alcançou 39,3%, superior à observada em 2014 (34,4%). Nesse contexto, a TEA alcançou 21,0%, ou seja, em cada 100 brasileiros, 21 estão envolvidos com uma atividade empreendedora em estágio inicial. De 2014 para 2015, a TEA do Brasil variou de 17,2% para 21,0%. Esse crescimento foi determinado pelo aumento na taxa de empreendedorismo nascente, que passou de 3,7% em 2014 para 6,7% em 2015. O aumento na taxa de empreendedorismo novo foi pequeno, de 13,8% em 2014 para 14,9% em 2015. Além disso, o crescimento da taxa de empreendedorismo nascente está relacionado principalmente ao aumento do empreendedorismo por necessidade.

Se você gostou desse artigo, espero te ver muitas vezes por aqui, além disso, deixe o seu e-mail para que eu possa te enviar as novidades e um comentário bem bacana para incentivar a equipe a trazer posts de qualidade. É bem rápido, é só deixar um 'oi' aqui embaixo"!

_______________________________________________________________________________________________________________
 



_______________________________________________________________________________________________________________



Diante desses fatos, é visível que o número de empreendedores está crescendo rapidamente no Brasil, mas quando a crise passar (se é que passa - palavra de quem não acredita na crise) quantos empreendedores de fato restarão? O que nos resta é investir nossa total dedicação para tirar proveito desse quadro nacional, de forma que, ganhar a vida fazendo o que se gosta, deixe de ser um sonho, pelo menos para nós.
Ellen Luz

Pesquisa: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/estudos_pesquisas/pesquisa-gem-empreendedorismo-no-brasil-e-no-mundodestaque9,5ed713074c0a3410VgnVCM1000003b74010aRCRD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aeh! Vai sair sem comentar? Que feeeio! Faz uma pergunta ou deixa um recadinho aqui pra gente. Depois, dá uma voltinha pelo blog, tem uma par de coisas legais pra você ler e assistir. Beijos na bochecha.