BIC, líder mundial em canetas e em isqueiros de bolso, testa em animais por Fabio Chaves

Difícil de imaginar, mas há crueldade atrás desta simples caneta.
A multinacional de origem francesa BIC começou suas atividades em 1950 e é hoje líder mundial em materiais de papelaria – especialmente com a famosa caneta azul -, isqueiros de bolso e barbeadores. A marca está presente em todos os continentes e cerca de 500 produtos BIC são vendidos por segundo em mais de 3 milhões de pontos de venda em 160 países. No Brasil, a empresa chegou em 1956 e hoje fabrica aqui 98% dos produtos vendidos na América Latina. São mais de 1 bilhão de produtos manufaturados em manaus-AM. Os números e o sucesso da empresa impressionam, mas há uma mancha nesta trajetória.
Não é de hoje que a BIC figura entre as empresas que testam em animais na lista mais famosa do mundo do gênero, a da PETA, ONG norte-americana. É complicado imaginar como pode haver crueldade na fabricação de uma caneta ou de um isqueiro, mas há. Neste seguimento, os testes em animais são usados para averiguação da toxidade da tinta utilizada na carga da caneta ou do plástico usado nos isqueiros, por exemplo.
Em outras palavras, a BIC contrata laboratórios especializados ao redor do mundo para que torturem  milhares de animais para ter alguns papéis dizendo que seus produtos são seguros para seres humanos. Quase sempre estes testes são falhos e sempre são cruéis. Testes em animais são uma indústria lucrativa para a qual a sociedade precisa dizer “não!”.
____________________________________________________________________
A empresa diz que está trabalhando há 15 anos para eliminar os testes em animais.
____________________________________________________________________________
Segundo a política mundial de conduta da empresa, que é apresentada a cada fabricante ou fornecedor contratado pela marca (leia aqui | PDF), desde 1997 é exigido o máximo de empenho para que os testes de segurança dos produtos sejam feitos com métodos alternativos. Porém, até hoje, 15 anos depois, a empresa não conseguiu eliminar os testes de seu currículo.[]
Texto gentilmente cedido pelo site Vista-se, escrito por Fabio Chaves.
Visite também:

"Busque, pesquise, fale, incentive, influencie pessoas a mudarem sua forma cruel de pensar. Lembre-se que cumplicidade também é uma ação."

Ellen Luz

4 comentários:

  1. Mas não é possível uma coisas dessas!! Até parece que todas essas marcas famosas têm "um pezinho na lama". Quando não é trabalho escravo, é trabalho infantil ou testes em animais. Aonde vamos parar com isso?! É o fim dos tempos!
    Um abraço Ellen e continue engajada nessa luta em favor dos indefesos. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, Vania, mas devemos continuar acreditando que nós, pessoas do bem, possamos mudar o mundo em um lugar melhor! Obrigada. Beijão.

      Excluir
  2. uma triste realidade que devemos mudar..... qdo as pessoas vão entender que somos todos animais? se é pra ser cruel, que seja testando em assassinos, traficantes, pedófilos, sequestradores...
    bjs

    ResponderExcluir

Aeh! Vai sair sem comentar? Que feeeio! Faz uma pergunta ou deixa um recadinho aqui pra gente. Depois, dá uma voltinha pelo blog, tem uma par de coisas legais pra você ler e assistir. Beijos na bochecha.

Para ler em seguida

É um site sobre empreendedorismo materno e digital, criado em 2013 por Ellen Luz.
Aqui você vai encontrar informações sobre negócios, finanças, cotidiano, maternidade e tecnologia. Além de experiências reais de empreendedores e profissionais do ramo.

Copyright (C) 2017

Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por MeuBlogPronto Serviços Digitais

Leitores

Junte-se a todos os leitores do Valor em Casa. Assine!