A Dengue mata! - Blog de empreendedorismo materno | Valor Em Casa

1 de maio de 2014

A Dengue mata!

by blog Sem H

Preciso logo avisar que essa postagem não está completa, pois ainda estamos passando por isso. Na medida que as coisas forem acontecendo, eu irei atualizar em tempo real, aqui mesmo, o desenrolar dessa história.
Por hora, eu tinha que avisá-las da queda de atualizações do blog e o motivo em que as postagens pararam desde o último dia 28. Pois bem, o motivo é realmente esse: Dengue! 
Não, não eu, mas meu irmão Will contraiu essa doença e ficou muito mal. É claro que minha mãe e a esposa dele estão cuidando, talvez melhor que eu, de sua melhora, mas eu não conseguiria ficar longe do meu único irmão em um momento desse. Em dois dias ele se transformou, de um homem forte e muito saudável a um menino que não consegue nem abrir os olhos. Se você ainda acha que a Dengue é doença que o governo arruma pra falar em época de eleição, pense bem!
Preciso encerrar esse primeiro capítulo, pois vou acompanhá-lo ao médico. Deixo algumas informações importantes para quem ainda não sabe o que é a Dengue. 

Matéria do Site da Dengue: A palavra dengue tem origem espanhola e quer dizer "melindre", "manha". O nome faz referência ao estado de moleza e prostração em que fica a pessoa contaminada pelo vírus.

O mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti, esse aí da foto acima, foi introduzido na América do Sul através de barcos (navios negreiros) provenientes da África, no período colonial, junto com os escravos. Houve casos em que os barcos ficaram com a tripulação tão reduzida que passaram a vagar pelos mares, constituindo os "navios-fantasmas".

A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus e existem quatro tipos diferentes de vírus do dengue: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4, que ocorre principalmente em áreas tropicais e subtropicais do mundo, inclusive no Brasil. As epidemias geralmente ocorrem no verão, durante ou imediatamente após períodos chuvosos.

A dengue clássica se inicia de maneira súbita e podem ocorrer febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores nas costas. Às vezes aparecem manchas vermelhas no corpo. A febre dura cerca de cinco dias com melhora progressiva dos sintomas em 10 dias. Em alguns poucos pacientes podem ocorrer hemorragias discretas na boca, na urina ou no nariz. Raramente há complicações.

Dengue hemorrágica é uma forma grave de dengue. No início os sintomas são iguais a dengue clássica, mas após o 5º dia da doença alguns pacientes começam a apresentar sangramento e choque. Os sangramentos ocorrem em vários órgãos. Este tipo de dengue pode levar a pessoa à morte. Dengue hemorrágica necessita sempre de avaliação médica de modo que uma unidade de saúde deve sempre ser procurada pelo paciente.

O avanço do vírus tipo 4 da dengue pelo Brasil é uma ameaça à saúde pública. Não pelo vírus em si, que não é mais nem menos perigoso que os tipos 1, 2 e 3, mas pela entrada em ação de mais uma variação do micro-organismo.

Existem quatro tipos do vírus da dengue: DEN-1,  DEN-2,  DEN-3 e DEN-4. “Causam os mesmos sintomas. A diferença é que, cada vez que você pega um tipo do vírus, não pode mais ser infectado por ele. Ou seja, na vida, a pessoa só pode ter dengue quatro vezes”, explica o consultor de dengue da Organização Mundial da Saúde (OMS), Ivo Castelo Branco.

“Em termos de classificação, estamos falando do mesmo tipo de vírus, com quatro variações”, explica Marcelo Litvoc, infectologista do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. “Do ponto de vista clínico, são absolutamente iguais, vão gerar o mesmo quadro”, esclarece o médico.

A explicação do problema provocado pelo vírus 4 está no sistema imunológico do corpo humano. Quem já teve dengue causada por um tipo do vírus não registra um novo episódio da doença com o mesmo tipo. Ou seja, quem já teve dengue devido ao tipo 1 só pode ter novamente se ela for causada pelos tipos 2, 3 ou 4.

“Quanto mais vírus existirem, maior a probabilidade de haver uma infecção”, resume Caio Rosenthal, infectologista e consultor do programa Bem Estar, da TV Globo. Se houvesse só um tipo de vírus, ninguém poderia ter dengue duas vezes na vida.

A possibilidade da reincidência da doença é preocupante. Caso ocorra um segundo episódio da dengue, os sintomas se manifestam com mais severidade. “Existe certa sensibilização do sistema imunológico e ele dá uma resposta exacerbada”, afirma Litvoc.

Esta reação exagerada do sistema imunológico é um problema. Pode causar inflamações e, por isso, aumenta o risco de lesões nos vasos sanguíneos, o que levaria à dengue hemorrágica. Um terceiro episódio poderia ser ainda mais grave, e um quarto seria mais perigoso que o terceiro.

A Dengue é uma infecção causada por um vírus, transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti. Não há transmissão pelo contato de um doente ou suas secreções com uma pessoa sadia, nem fontes de água ou alimento.

Não existe tratamento específico para dengue, apenas tratamentos que aliviam os sintomas. 
Deve-se ingerir muito líquido como água, sucos, chás, soros caseiros, etc. Os sintomas podem ser tratados com dipirona ou paracetamol. Não devem ser usados medicamentos à base de ácido acetil salicílico e anti-inflamatórios, como aspirina e AAS, pois podem aumentar o risco de hemorragias.

2 comentários:

  1. Melhoras para seu irmão, tudo vai ficar bem.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. todos precisam cuidar e colaborar
    passando, na corrida, para desejar ótimo final de semana
    bjs
    tititi da dri

    ResponderExcluir

Aeh! Vai sair sem comentar? Que feeeio! Faz uma pergunta ou deixa um recadinho aqui pra gente. Depois, dá uma voltinha pelo blog, tem uma par de coisas legais pra você ler e assistir. Beijos na bochecha.