O perigo de comidas e bebidas industrializadas - Blog de empreendedorismo materno | Valor Em Casa

19 de setembro de 2013

O perigo de comidas e bebidas industrializadas

Olá minhas queridas! Vocês sabem que esse tópico do blog  é para contar fatos e historias surpreendentes ou marcantes do mundo da moda e afins. Por isso acredito que esse assunto, apesar de ser uma questão de saúde, se encaixa muito bem aqui pois  é aterrador. 

Em meio a tanta correria, tive um tempinho e aproveitei para ver vídeos, aprender coisas e me informar sobre o que está rolando nas redes sociais. Foi aí que eu vi essa matéria arrasadora no sentido ruim da palavra, pois me deixou com o estômago enjoado.

Quando a gente ouve que comida saudável é comida feita em casa, algumas pessoas torcem o nariz dizendo que isso é bobagem. Outros põem a culpa na falta de tempo e alguns dizem que isso  é conversa de marombeiros, mas o grande mal das comidas e bebidas industrializadas não  está apenas no exagero de seus componentes,  está também no processo de preparação dessas comidas. 

Parece que nem com toda a fiscalização do mundo, as empresas adequam a higiene de suas produções.  É fato que, produzindo em maior quantidade, alguns detalhes sejam ignorados, porém no tocante a produção de remédios, alimentos e cosméticos, acredito que  isso  não  deveria acontecer, pois as empresas arriscam a saúde de nos consumidores.

Foi o que aconteceu com o personagem real dessa história, registrado em dezembro de 2000 e noticiado há cerca de dez dias na TV Record. O senhor Wilson Batista Rezende comprou um pacote com seis garrafas de Coca Cola no supermercado na cidade de São Paulo, e "sentiu os órgãos queimarem" ao consumir uma delas.
“Ingeri meio gole de uma das seis garrafas de dois litros de Coca-Cola contaminada com restos de rato, e senti corroer meu esôfago, língua e estômago. Foi quando cuspi o restante para fora da boca, desesperado e com a indescritível ardência, literalmente por todo meu aparelho digestivo. Verifico o copo que me servi e percebo pequenos fios de pelos de ratos junto ao líquido”, explica Wilson no perfil dele no Facebook.

Veja a reportagem abaixo:





Gente, como um rato pode entrar em uma garrafa pet lacrada sem fazer qualquer perfuração? Impossível! E a empresa publicou nota dizendo que os padrões de produção do refrigerante segue os mais altos níveis de fiscalização, e que lamenta, mas a doença que o senhor Wilson adquiriu após o consumo  não tem relação com o fato. 


Como se explica então o laudo médico que  confirma a intoxicação por veneno de rato? Pois é, não se explica.

O fato  é que não  é a primeira vez que essas coisas acontecem, eu mesma já encontrei corpos estranhos em comidas e bebidas lacradas. Infelizmente fiz como a maioria, ignorei. Porém agora, tomo como alerta o caso acima e de preferência faço minha própria alimentação em casa.  É mais seguro, mais nutritivo e mais gostoso.

Estejamos alertas, minhas queridas, pois o descaso com os problemas alheios afetam todas as partes do mundo e o perigo pode estar nas prateleiras dos supermercados. Fica a dica.

Um super beijo e até a próxima! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aeh! Vai sair sem comentar? Que feeeio! Faz uma pergunta ou deixa um recadinho aqui pra gente. Depois, dá uma voltinha pelo blog, tem uma par de coisas legais pra você ler e assistir. Beijos na bochecha.