Fui assaltada a 20 metros de uma viatura policial. - Blog de empreendedorismo materno | Valor Em Casa

20 de agosto de 2013

Fui assaltada a 20 metros de uma viatura policial.


É cada coisa que me acontece... Vocês acreditam que hoje fui assaltada a 50 metros da minha casa?! Detalhe, por ser considerado um bairro de classe média, aonde eu moro sempre existem viaturas policiais paradas ou fazendo ronda, além de uma base enorme do corpo de Bombeiros, o fórum e duas faculdades federais bem ao lado. Ou seja, não é por falta de policiamento que a violência acontece, mas pela petulância dos marginais.
Eu vou contar como foi. 

Estava eu voltando da faculdade por volta das dez da noite, (como meu bairro é muito próximo ao centro, faço tudo a pé, inclusive ir à faculdade, shopping, supermercado etc) passando pela praça Oito de Maio, conhecida por ser utilizada no exame de baliza do CIRETRAN, fui abordada por dois marginais aparentando uns 17 anos cada um, (eu concordo com o jornalista Marcelo Rezende, quando um menor pratica algum crime, ele perde o direito de ser chamado de criança, adolescente ou mesmo menor de idade, ele deve ser chamado de CRIMINOSO, MARGINAL, DELINQUENTE etc) que insistiram em levar meu celular. Infelizmente, eu tenho a mania de reagir no momento de perigo (vestígios da época militar) e recusei a dar meu celular pra ele, de repente veio mais um marginal se fazendo de 'bonzinho'. Ele veio correndo em minha direção perguntando o que estava acontecendo (como coisa que ele não sabia), aí eu disse que o outro queria levar meu celular, mas eu não ia dar não, na maior cara de pau ele pediu meu celular a fim de que o outro não levasse, é mole?! Eu neguei mais uma vez e os dois vieram pra cima de mim, só aí me toquei que eles não estavam armados. Em uma reação inesperada, eu joguei meu celular no quintal do vizinho e disse: 'quer meu celular? Vai pegar!' (que doida!). Acho que ao ouvir o barulho do aparelho se espatifando no chão, o vizinho saiu para ver o que estava acontecendo. Foi quando os dois meliantes fugiram correndo.

Na maior cara de pau (nem tanto) eu expliquei o que havia acontecido ao vizinho e pedi para que me devolvesse meu celular, o que ele fez sem mais perguntas: bateria, capinha e aparelho, tudo desmontado, mas funcionando perfeitamente!.. rsrs. Andei mais vinte metros e havia uma viatura da policia municipal parada (eu não disse?!). Expliquei aos policiais o que havia acontecido (um homem e uma mulher), eles pediram para que eu os acompanhasse para reconhecer os infelizes e eu fui, é claro!

Adivinha? Nem sinal dos delinquentes! Voltamos para o mesmo lugar da ronda e eu segui para a minha casa. A policial pediu para que, a qualquer problema eu ligasse 153. Agradeci e fui embora.

Errei em reagir, mas foi sem pensar, toda ação gera uma reação e em mim funciona da seguinte forma:  ação tranquila, reação tranquila. Ação violenta, reação violenta. 

Dei sorte de jogar o celular dentro do quintal alheio e o receber de volta sem perguntas e reclamações. Dei sorte de não sofrer retalhação por parte dos marginais que poderiam estar armados, mas não estavam.

Fiz bem de avisar e acompanhar os policiais para reconhecê-los, pois se a gente se omite, eles voltam a praticar crimes ainda piores e fazer de um bairro que é muito bom, um ponto de marginalidade. Portanto, se ocorrer com você, denuncie! Toda violência deve ser combatida com justiça e privação de liberdade. Além disso, você não quer que mais cedo ou mais tarde os bandidos sintam que pode dominar o seu bairro, não é?!

O combate ao crime não fica apenas por conta dos órgãos públicos e da policia armada, é seu dever de cidadão lutar para que o crime não se propague, denunciando e cobrando mais segurança para sua região.

Infelizmente, a petulância dos criminosos é tanta que são capazes de assaltar alguém desarmados e a menos de vinte metros da polícia. Sejamos petulantes também para entregá-los à justiça. 

Não é a primeira vez que isso aconteceu comigo, em 2002 fui assaltada dentro do prédio que trabalhava. Novamente, o criminoso estava desarmado e não levou nada de valor.

Eu sei que todos os dias, o Senhor Deus nos dá livramentos que nem imaginamos, mas as vezes, as coisas precisam acontecer para reconhecermos que Deus está conosco e que seus anjos nos guardam constantemente.

Boa sorte para todos nós da próxima vez!

Um beijo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aeh! Vai sair sem comentar? Que feeeio! Faz uma pergunta ou deixa um recadinho aqui pra gente. Depois, dá uma voltinha pelo blog, tem uma par de coisas legais pra você ler e assistir. Beijos na bochecha.